top of page

É TÃO DIFÍCIL VER ISSO?

Atualizado: há 2 dias




As mudanças climáticas estão afetando não apenas a natureza externa, mares, rios, florestas, as temperaturas do planeta. Elas estão afetando os nossos climas internos, psiquicos, emocionais, comportamentais. Estamos nos degradando junto com a natureza. Por um simples motivo: também somos a natureza.


Nada está separado. Essencialmente, somos bichos, plantas, agua, terra, fogo e ar. Estamos absolutamente dentro, todo o corpo físico e abstrato mergulhado no oceano de seres invisíveis, minúsculos e maiusculos. Estamos dentro do céu e do inferno que criamos à nossa volta. Será que é tão difícil ver isso?


Somos árvores devastadas, mares poluidos, somos incêndios florestais e tsunamis. Mesmo que trancados no trigésimo andar ou escondidos em um bunker subterraneo, estamos ligados pelo mesmo fio aos que nadam nas profundezas, voam nas alturas e desaparecem nas tempestades. Estamos boiando como lixo nas águas, somos o lixo e as águas.


No inverno esfriamos, ficamos mais úmidos, recolhidos. No verão, mais ativos, inquietos e violentos. Modulamos nossos comportamentos e humores com as estações como todos os animais. Nos unimos como formigas na arrumação do inverno e nos juntamos na defesa da casa como cardumes e alcatéias. Somos tribais, nunca deixamos nossa ancestralidade tribal, mesmo nos edifícios das metrópoles, nas estações espaciais e nas minas profundas, somos das mesmas tribos do passado.


Estamos agora assustados com o avanço mundial da extrema direita e das pautas negacionistas. França, Austria, Italia, Inglaterra, Argentina, EUA, não há como evitar esse movimento porque ele é parte da degradação do ambiente. Nem é possível interromper as guerras, a violência e tanto sofrimento porque são manifestações do mesmo ambiente corrompido.


As ações opostas, de resistência também estão integradas ao ambiente. É a sua luta por sobreviver e a meta da vida é a sobrevivência. Somos solidários para evitar o fim da espécie. Todo ser luta pela vida, o protozoário, a plantinha, a barata. Quando um ser pede a morte é porque seu ambiente já morreu.


Achamos que temos espaço para muitas escolhas. Não temos. Só há duas, pegar ou largar. Não há meio termo. Mesmo o filosófico caminho do meio tem um pegar ou largar. A posição do “nem fode nem sai de cima” é das mais covardes e a natureza não tem lugar para vacilos.


Quero dizer que o ambiente degradado atrai seus iguais. E esses trabalham para degradar mais o ambiente que lhes dá conforto. Assim que nazistas, por exemplo, proliferam em lugares devastados e sua meta é ter todos os lugares devastados.


As mudanças climáticas estão produzindo seres turbulentos. Como as geleiras, eles estão derretendo e enchendo os mares. Para impedir seu avanço é preciso baixar a temperatura, recompor as geleiras, acalmar os ânimos, proteger as florestas, cuidar da casa.


Para que isso ocorra, basta parar tudo, estacionar os aviões, guardar os automóveis, os caminhões, os tratores, ancorar os navios, desligar os elevadores, os satélites e os drones, desarmar as bombas, os mísseis e os espíritos. Seja otimista, tudo isso vai ocorrer um dia.

Comentarios

Obtuvo 0 de 5 estrellas.
Aún no hay calificaciones

Agrega una calificación
bottom of page